MP quer auxiliar no fortalecimento da agricultura familiar

MP quer auxiliar no fortalecimento da agricultura familiar

O promotor Angelo Mazzuchi Ferreira, da promotoria do Meio Ambiente de Cascavel, reuniu-se nesta quarta-feira (29) com o mandato do vereador Paulo Porto (PCdoB) a fim de discutir mecanismos de fortalecimento da agricultura familiar no município. Para o ele, fortalecer este tipo de produção contribui com a diminuição no consumo de agrotóxicos pela população local. Dados da 10ª Regional de Saúde apontam que o prejuízo causado à população local, diante do elevado consumo destas substâncias, envolve intoxicações crônicas e agudas, malformação de bebês, além de um alto índice de casos de depressão.

“Esta reunião tem por finalidade tocar assuntos que envolvem a comunidade muito de perto, principalmente a agricultura familiar e a agricultura urbana, todas livres de agrotóxicos. [Buscamos] o desenvolvimento junto às comunidades de uma pauta de atuação positiva, para que o Ministério Público possa se engajar mais com as comunidades rurais e desenvolver conversas iniciais para um trabalho junto com a Câmara de Vereadores” destacou o promotor, que também ressaltou abertura para o Conselho e Fundo Municipal de Meio Ambiente.

A reunião ocorreu de maneira sequencial ao Seminário sobre intoxicação crônica causada por agrotóxicos no Oeste do Paraná, realizado na Escola do Campo Zumbi dos Palmares no dia 31 de outubro. “Sentamos com o Ministério Público, na pessoa do promotor Angelo Mazzuchi, para pensar encaminhamentos efetivos, para que não fique só no debate”, explicou o vereador Paulo Porto. Segundo ele, estes encaminhamentos passam por criar políticas municipais de fortalecimento em relação à agricultura familiar. “O promotor trouxe essa preocupação do Ministério Público em ser parceiro nessas iniciativas, entendendo que ao fortalecer o agricultor familiar, fortalece a luta contra os agrotóxicos em Cascavel”, reforçou Porto.

“Embora esses assuntos passem pelo Ministério Público como fiscalização e acompanhamento, são assuntos de interesse local, político e devem ser tratados como tal. Na melhor acepção da política, que é desenvolver comportamentos sociais construtivos, de modo a tornar o cidadão menos dependente das instituições. O que queremos é que no futuro, e cada vez mais, a população acredite nas instituições e dependa menos delas”, destacou Mazzuchi. Segundo ele, atualmente vivemos com o Ministério Público supervalorizado por um lado, em razão dos movimentos nacionais, mas também estamos vendo uma população que está ficando muito dependente do órgão até para alcançar direitos individuais, como o da saúde e o direito de conseguir plantar sua própria comida. “O sonho que cada um de nós tem é o de que, em breve, voltar a plantar sua comida seja algo naturalmente feito na cidade, como era há pouco tempo atrás”, destacou o promotor.

“Foi uma reunião muito produtiva em que o mandato se irmana com o Ministério Público no sentido de procurar caminhos efetivos em relação ao fortalecimento da agricultura familiar. Entendendo que um dos grandes motes da nossa luta contra os agrotóxicos é justamente fortalecer quem não usa agrotóxicos. Creio que teremos belos frutos a partir dos encaminhamentos que estamos pensando em conjunto”, avaliou o vereador.

Paulo Porto destacou que já existe uma experiência interessante acontecendo em Cascavel, que é um projeto de agricultura urbana que está sendo posto em prática pelo executivo. Até o momento, 20 hortas comunitárias já foram implantadas em terrenos do município, de modo a atender a população com alimentos e opção de obtenção de renda. Para o vereador, iniciativas como esta fortalecem uma cultura livre de agrotóxicos.

Texto: Bruna Bandeira da Luz
Foto: Flavio Ulsenheimer/Ass. Câmara